Robert Johnson e o pacto na encruzilhada

A lenda do blues Robert Johnson e o pacto realizado na encruzilhada

Robert Leroy Johnson, (1911-1938) foi um cantor, guitarrista e compositor americano de Blues. Um dos mais influentes músicos do gênero e inovador em sua forma de tocar.

Ficou em quinto lugar no ranking dos 100 melhores guitarristas de todos os tempos da revista Rolling Stone. Influenciou diversos músicos como Bob Dylan, Muddy Waters, Eric Clapton e Jeff Back, além de bandas como Led Zeppelin e Rolling Stones.

Johnson que já foi chamado de “King of the Delta Blues” gravou apenas 29 músicas em 1936 e 1937, no Texas.

O pacto

Sua história de vida é curta e repleta de mistérios e lendas – morreu com 27 anos.

Conta-se que ele conheceu o diabo em uma encruzilhada à meia-noite e fez um acordo para se tornar o maior músico de blues de todos os tempos. Vendeu sua alma e, em troca, teve sua guitarra afinada pela entidade.

Algumas de suas canções como “Me and the Devil Blues”, “Hellhound on my Trail” e “Crossroad Blues” reforçam a ideia e fomentam a lenda.

Essa história é o tema do filme Crossroads, de 1986, inspirado neste lendário músico de blues. Escrito por John Fusco e dirigido por Walter Hill, contou com trilha sonora original.

A Morte

Embora as causas de sua morte sejam incertas, é geralmente aceito que não foi acidental. É relatado que Robert Johnson foi vítima de envenenamento por estricnina inserida no seu wiskhy, supostamente preparado por alguém que havia ficado enciumado por Johnson ter flertado com sua mulher.

Morreu no Mississippi no dia 16 de agosto de 1938. Há outras histórias, como a de que havia morrido de sífilis, ou assassinado por arma de fogo. Existem relatos que falam que em seu atestado de óbito havia apenas escrito “No Doctor” como causa da morte.

Pela Redação do Nefasto.

#nefasto #terror