Abyzou

Abyzou

Conheça o mito do demônio Abyzou

Acredita-se que Abyzou era, de acordo com os mitos e folclores do Oriente Médio e Europa, um demônio que, por ser infértil, era tomada por inveja e rancor da humanidade. Em sua fúriosa vinagança, Abyzou causava abortos espontâneos e matava crianças ainda no útero da mãe.

Seu nome mais comum é Abyzou (também soletrado, Obizu, Obizuth, Obyzouth, Byzou), mas pode ser identificada por outros nomes dependendo da origem. Na tradição judaica, ela é identificada com Lilith, no Egito copta com Alabasandria, e na cultura bizantina com Gylou. Em vários textos de prática mágica sincrética da antiguidade e era medieval, ela é dita ter muitos ou praticamente inumeráveis nomes.

É retratada em amuletos com atributos de peixe ou serpentes aquáticas. Sua descrição literária mais completa é o compêndio da demonologia conhecido como o Testamento de Salomão, datado em alguma época há mais de dois milênios atras.

No Testamento antigo de Salomão, Abyzou (Obizuth) é descrito como tendo um “rosto esverdeado reluzente com desgrenhado cabelo de serpente“; O resto de seu corpo é coberto pela escuridão.

Sua atividade

Seu principal alvo são crianças, mulheres grávidas e virgens. Abyzou ataca suas vítimas consumindo todo seu sangue e leite, fazendo com que mulheres abortem por impedir a nutrição do feto. É provavel que Abyzou tambem faça suas vitimas ficarem estereis.

No Testamento de Salomão, Abyzou também leva o crédito por causar danos nos olhos, ouvidos e gargantas de suas vítimas, além de leva-las à um quadro de insanidade. Conta-se que ela nunca dorme e tira a vida de pelo menos uma criança a cada noite.

Porém Abyzou pode ser controlada. Encatamentos descritos nos grimórios de Salomão dizem que, se feitas corretamente as pedições aos arcanjos Miguel e Raphael, estaremos protegidos do demônio. O encantamento é relativamente simples: basta escrever o nome de Raphael em um pedaço de papiro quando uma mulher entra em trabalho de parto. Diz-se que Abyzou fugirá ao ver tal encanto.

Em um texto relacionado à magia, o arcanjo Miguel confronta Abyzou e a obriga a dizer-lhe os 40 nomes que podem controlá-la. Na prática mágico-religiosa, conhecer o nome secreto de uma entidade, força divina ou demônio oferece poder sobre essa entidade.

No Testamento de Salomão, o próprio demônio declara que ela tem dez mil nomes e formas, e que Rafael é sua antítese. Ela diz que se seu nome estiver escrito em um pedaço de papiro quando uma mulher está prestes a dar à luz, “Eu vou fugir deles para o outro mundo.”

Suas dez mil formas

Variantes sobre o nome de Abyzou aparecem freqüentemente em encantos em línguas como grego antigo, hebraico e romeno.

O demônio feminino aparece freqüentemente em textos mágicos sob seu nome babilônico Gyllou ou Gylou. Em um conto grego do tempo de “Trajan, o Rei“, Gyllou sob tortura revela seus “doze nomes e meio“:

“Meu nome primeiro e especial é chamado Gyllou; O segundo Amorphous; O terceiro Abyzou; O quarto Karkhous; O quinto Brianê; O sexto Bardellous; O sétimo Aigyptianê; O oitavo Barna; A nona Kharkhanistrea; O décimo Adikia; o décimo segundo Myia; O Petomene é o meio.  “

Nos textos medievais, um dos doze nomes e meio de Gylou é dado como Anabardalea, um nome também associado com Abyzou.

Sob o nome Gello, o demônio aparece em um fragmento da poesia de Sappho.

Pela Redação do Nefasto.

#terror #nefasto

Abyzou-nefasto-terror
Abyzou

NEFASTO – ENTRE A VIDA E A MORTE
www.nefasto.com.br – Tudo sobre medo e terror: Filmes de terror, histórias de terror, livro de terror, notícias de terror, contos de terror. Todas as matérias são escritas pela equipe do Nefasto, com base em fontes da internet. Caso algum artigo ou notícia não esteja carregando os devidos créditos, entre em contato pelo email nefasto.nocivo@gmail.com.
Siga-nos nas redes: Facebook || Instagram || Youtube || Grupo de discussão || Twitter || Google+

Deixe uma resposta