It: A Coisa (a criatura)

It: A Coisa

pennywise-a-coisa-terror-nefasto-03A Coisa: Mais comumente conhecido como Pennywise o Palhaço dançarino, foi o principal antagonista do romance e do filme. Foi retratado como uma entidade terrível e malévola com milhões (possivelmente bilhões) de anos, sem gênero exato ou identidade sólida.

Era um ser maligno misterioso de um reino / dimensão desconhecido fora das regiões do espaço. Quando chegou ao planeta Terra para se alimentar, o disfarce favorito era o palhaço de circo colorido e sensacional chamado “Pennywise“. Também poderia se transformar em qualquer outro ser ou coisa que quisesse, geralmente com base em entes queridos ou amigos para atrair suas vítimas para armadilhas. Outras vezes simplesmente aparecia na forma dos seus piores medos.

Preferia atrair crianças, para que pudesse capturar e matar para devorá-las. Era capaz de matar todos os tipos de seres humanos, mas preferia as crianças porque eram mais fáceis de manipular e assustar. De acordo com a criatura, a carne de alguem com medo tem um gosto melhor.

Um mal inominável

Diga aos seus amigos que sou o último de uma raça em extinção” – para Beverly Marsh

A Coisa originou-se em um vazio, desconhecido pela humanidade, contendo e circundando todo o nosso Universo. Um lugar referido no romance como o “Macroverso”. O nome verdadeiro da Coisa (se, de fato, tem um) é desconhecido – embora em vários pontos do romance, afirma que o seu verdadeiro nome é Robert Gray – e é chamado “Coisa” pelo grupo de crianças que mais tarde o confrontariam. Em todo o livro, geralmente é referido como masculino; no entanto, no final do livro, os protagonistas acreditam que pode ser feminino (devido à sua manifestação como uma aranha femea monstruosa). Esta não é, no entanto, a “forma verdadeira” da Coisa, é simplesmente o mais próximo que a mente humana consegue imaginar. A forma natural da Coisa existe em um reino além do físico, que chama de “deadlights” (descrito como luzes laranja destrutivas e contorcidas). Ficar frente a frente com as deadlights leva qualquer ser vivo instantaneamente à loucura. Bill chega perto de ver as deadlights; Ao olhar nos olhos da Coisa, viu, por um breve momento, uma silhueta por trás da forma que a Coisa assumia . Ele descreveu a visão como uma criatura infinita e rastejante, feita de luz laranja. Mas ele e Richie conseguiram vencer A Coisa antes que as deadlights pudessem afetar Bill. A única pessoa que se tem notícia que enfrentou as deadlights, sobreviveu e recuperou a sanidade é Audra Phillips.

O inimigo natural é “A Tartaruga“, outro antigo morador do Macroverso que, há alguns anos, criou nosso Universo e possivelmente outros. A Tartaruga aparece na série A Torre Negra como Maturin, um dos Guardiões do Beam. A série sugere que A Coisa, juntamente com a Tartaruga, são “criações” de um mesmo ser onipotente denominado “O Outro” (quem pode ser a entidade Gan). A Tartaruga e A Coisa são inimigos eternos. Na verdade, A Coisa pode ser um dos seis gradnes elementais demoníacos mencionados por Mia na Canção de Susannah, pois a Aranha não é um dos Beams GuardiansA Coisa chegou em nosso mundo em um enorme evento cataclísmico semelhante à queda de um asteróide, exatamente no lugar que mais tarde se tornaria Derry, Maine.

Ao longo do romance, alguns eventos são descritos através de seu ponto de vista da CoisaA Coisa se descreve como o ser “superior”, sendo a Tartaruga algo “próximo a Sua superioridade” e os humanos como meros “brinquedos”. A Coisa afirma que prefere matar e devorar as crianças, não por natureza, mas sim porque os medos das crianças são mais fáceis de manipular e serem materializados em forma física. Assim, as crianças são mais fáceis de serem aterrorizadas, o que A Coisa diz que é semelhante a salgar carne.

A Coisa é constantemente surpreendido pelas vitórias dos perdedores. Então começa a se questionar se ainda é tão superior quanto havia pensado. No entanto, não acredita que as crianças individualmente sejam fortes o suficiente para vencê-la. Somente o “Outro” trabalhando através dos perdedores como um grupo, que A Coisa acredita que pode ser derrotada.

Ciclo antigo:

“Você não tem poder. Isto é poder; sinte o poder; e depois fale novamente sobre como você mataria o Eterno!” – para Bill Denbrough no Macroverso.

Por milhões de anos, A Coisa habitou o subterraneo do nosso planeta, aguardando a chegada da humanidade. De alguma forma sabia que chegariamos. Uma vez que as pessoas vieram e se estabeleceram sobre seu lugar de repouso – onde Derry seria construída – adotou um padrão de hibernação e despertar, com intervalos aproximados de 27 a 30 anos, para matar e banquetear-se com carne de crianças inocentes. Quando A Coisa desperta, o mundo é marcado por um grandes e brutais atos de violência, como o assassinatos ou suicídios, pois a criatura é naturalmente atraída pelo sofrimento e a tragédia. A única maneira de interromper A Coisa e o ciclo de mortes acabar, é através de um ato de violência tão brutal quanto o primeiro. Então, A Coisa será forçada a voltar para sua longa hibernação.
1715 – 1716: A Coisa acordou.

1740 – 1743: A Coisa despertou e começou um reinado de terror de três anos que culminou com o desaparecimento de mais de 300 colonos do distrito de Derry, bem como o mistério da ilha de Roanoke.

1769 – 1770: A Coisa Despertou.

1851: A Coisa despertou quando um homem chamado John Markson envenenou sua família inteira, então cometeu suicídio comendo um cogumelo venenoso causando-lhe uma morte terrível.

1876 ​​- 1879: A Coisa despertou e logo voltou à hibernação depois de assassinar um grupo de lenhadores que foram encontrados mais tarde perto de Kenduskeag.

1904 – 1906: A Coisa despertou quando um lenhador chamado Claude Heroux assassinou varios homens em um bar com um machado. Heroux foi prontamente perseguido por uma multidão de habitantes da cidade e enforcado. Voltou à hibernação quando a Kitchener Ironworks explodiu, matando 108 pessoas, sendo 88 crianças que brincavam de “caça à ovos de Páscoa”.

1929 – 1930: A Coisa despertou quando um grande grupo de cidadãos de Derry abateram um pequeno grupo de gangsters conhecido como o Bradley Gang. Voltou à hibernação quando a LMDB (Legião de Maine pela Decência Branca), uma contraparte do Ku Klux Klan, incendiou uma boate de soldados afro-americano conhecida como “The Black Spot”.

1957 – 1958: A Coisa despertou quando Dorsey Corcoran foi espancado até a morte por seu padrasto, Richard Macklin; A primeira vítima da Coisa que se tem registro neste período foi Georgie Denbrough, durante uma das muitas inundações que atingem Derry de tempos em tempos. Em seguida, voltou à hibernação quando o Clube dos Perdedores, liderados por Bill Denbrough (irmão mais velho de Georgie), ferem A Coisa no primeiro Ritual de Chüd.

1984 – 1985: A Coisa despertou quando três jovens assassinos homofóbicos agrediram um jovem casal homossexual, Adrian Mellon e Don Hagarty, assassinando Mellon ao joga-lo de uma ponte. Finalmente A Coisa foi derrotada no segundo Ritual de Chüd performado Bill, Richie, Beverly, Eddie e Ben já adultos, embora isso tenha desencadeado a queda da torre de água e inundações na cidade.

Nos períodos intermediários entre cada par de eventos violentos, uma série de assassinatos infantis que nunca são resolvidos ocorrem em Derry. A explicação do livro sobre por que esses assassinatos nunca foram mencionados nas notícias nacionais, é que a localização é importante para uma notícia – uma série de assassinatos, por mais horríveis que sejam, não são relatados se acontecerem em uma cidade pequena. No entanto, o motivo implícito no livro para o por que de as atrocidades passarem despercebidas é muito mais sinistro: A Coisa não deixará que o resto do mundo os note.

Poderes e Habilidades da Coisa

“Todos nós flutuamos aqui, Henry! Todos nós flutuamos! Quando você estiver aqui embaixo conosco, você também vai flutuar! Mate-os todos! Venha nos visitar quando quiser. Traga seus amigos!” – A Coisa na forma da lua ao falar com Henry Bowers sobre matar Os Perdedores em 1958.
Mudança de Forma: Pode se transformar em qualquer tipo de ser, baseando-se em uma imagem macabra retirada diretamente da mente da vítima, independentemente do tamanho ou natureza da imagem. Tomou a forma de uma estátua de plástico gigante, várias pequenas entidades de vida – sanguessugas voadoras – ou várias entidades de tamanho humano quando Eddie é confrontado pelos cadáveres de Greta Bowie, Patrick Hockstetter e Belch Huggins no campo de baseball. No intervalo das transformações de sua mudança de forma, A Coisa é como um espectro alaranjado, que é o que há de mais próximo de sua verdadeira forma. Alguns podem discordar, no entanto, dizendo que a aranha é mais próxima da sua forma verdadeira. Outros podem argumentar que o palhaço é a forma verdadeira. Isso não é verdade. No entanto, o palhaço Pennywise é sua forma favorita.

Ilusões: Pode criar muitas ilusões diferentes, que são realistas o suficiente para prejudicar suas vítimas. Essas ilusões incluem balões flutuando contra o vento, fotografias se movendo, sangue escorrendo, pequenas, porem chocantes entidades como uma mosca mutante, dentes e um globo ocular (que estavam escondidos nos biscoitos da sorte na re-união dos perdedores), diferentes ruídos e música (incluindo discurso humano) e vários odores (pipoca, algodão doce, coisas podres). A invisibilidade parcial acompanha todas essas ilusões, pois apenas as vítimas escolhidas podem realmente vê-las e senti-las. Após um curto período de tempo, ou quando a vítima percebe que trata-se de uma ilusão, elas deixarão de existir.

Invisibilidade parcial: Esse poder foi claramente descrito em várias situações, principalmente quando a adulta Beverly encontra Pennywise no casa onde morava ou quando o adulto Ben Hanscom encontra A Coisa na biblioteca pública. Isso sugere que apenas aqueles que realmente acreditam ou têm conhecimento sobre a existência da Coisa são capazes de vê-la, embora possa tornar-se totalmente visível para qualquer pessoa quando for necessário ou desejar fazê-lo. Um momento notável foi quando A Coisa ajuda Henry Bowers a escapar de Juniper Hill. Um dos companheiros de cela de Henry e o guarda que estava de plantão viram A Coisa ao lado de Henry.

Regeneração: Embora claramente não seja invulnerável, podendo ser ferido de varias formas, A Coisa pode regenerar-se quase que instantaneamente. Essa habilidade da Coisa pode parecer ser pouco confiável, como foi testemunhada durante o encontro do jovem Mike Hanlon com o pássaro gigante. Depois que Mike bateu nos olhos e nos pés do pássaro com azulejos quebrados, o pássaro rapidamente foge. Por outro lado, quando Bill e Richie a encontram em sua forma de lobisomem na Rua Neibolt 29, A Coisa pôde regenerar-se quase instantaneamente após um tiro na cabeça e logo conseguiu perseguir os meninos por um período bastante longo.

Telepatia: Pode ler mentes quando está perto de suas vítimas. Esta habilidade é a que A Coisa mais usa, geralmente para decidir qual forma tomar. Mas em vários casos, pôde ler claramente os pensamentos dos Perdedores e usa-los a seu favor. A Coisa também pode se comunicar telepaticamente, como visto na cena da biblioteca com o adulto Richie Tozier ou na cena do Juniper Hill com Henry Bowers.

Apagar memória / Controle da mente:  Possui o poder de “apagar” várias mentes simultaneamente. Isso também sugere que tem a capacidade de apagar coisas particulares da memória ou do conhecimento de uma pessoa. Durante os dois confrontos entre o Clube do Perdedores e A Coisa, Bill descobre isso e avisa seus amigos que “Derry é A Coisa” e que “qualquer lugar que eles (os moradores de Derry) forem, eles não vão ver, eles não vão ouvir, eles não vão saber.” Isso afeta profundamente a mente dos moradores de Derry, tornando-os indiferentes aos terríveis acontecimentos que estão ocorrendo. Geralmente, parece que os cidadãos com mente mais fraca e visitantes sucumber ao poderoso controle mental da Coisa. Esta habilidade provavelmente não tem efeito sobre pessoas fora dos limites de Derry.

Teletransporte: Pode se teletransportar para distâncias limitadas, desaparecendo sem rastro e reaparecendo em algum outro lugar um pouco mais tarde. Embora seja uma habilidade muito útil e eficaz, A Coisa não parece explorar isso muitas vezes.

Planticídio e Floricídio: Com um simples toque A Coisa pode, instantaneamente provocar a morte das plantas. Isto é mostrado quando Eddie (jovem e adulto) o encontra A Coisa em sua forma leprosa. Isso é diferente das ilusões mencionadas anteriormente, já que esse efeito persiste mesmo depois que A Coisa desaparece.

Telecinese: Pode manipular objetos inanimados fazendo com que eles caiam, flutuem e se comportem de forma sobrenatural. Isso inclui portas e dispositivos eletrônicos.

Controle do clima: Pode afetar o clima na região de Derry. Em mais de uma ocasião, quando os Perdedores enfrentam A Coisa, o clima muda para uma tempestade. Principalmente no confronto final, que na verdade resulta na devastação da região do centro de Derry.

Formas da Coisa

“Carrer não será nada bom para você, maricas” – A Coisa sob a forma de um leproso vestindo um terno de palhaço enquanto falava com Eddie na rua Neibolt.

A Coisa tem muitos poderes. Um deles é a capacidade de mudar de forma para assustar as crianças de Derry. Já se transformou em muitas coisa, incluindo:

Pennywise o Palhaço Dançarino: Sua forma favorita e disfarce primário, principalmente usado quando caça crianças. Muitas vezes carrega balões.

George Denbrough: Quando Bill examina o álbum de fotos de seu irmão. Em 1985, quando os perdedores estão no subsolo da cidade, A Coisa aparece como Georgie.

Cadáver ambulante de Dorsey Corcoran e O Monstro da Logoa Negra ao perseguir Eddie Corcoran.

A voz de Betty Ripsom, uma das suas vítimas. Ouvida por seus pais através de um ralo. Sua voz, junto com as vozes de Matthew Clements e Veronica Grogan, vindo do ralo, também foram ouvidas por Beverly.

Um pássaro gigante, inspirado tanto no corvo que atacou Mike Hanlon quanto em Rodan, um gigante Pteranodon apresentado em um filme de terror japonês de 1957. A Coisa também aparece como um pássaro gigante para Will Hanlon, O pai de Mike, um dos poucos adultos que podem ver A Coisa.

Um lobisomem, quando A Coisa se encontra com Richie e Bill (vestindo um casaco da Derry High School inspirado no filme de terror de 1957, O Lobisomem Adolescente) enquanto estavam na casa na Rua Neibolt, 29.

O Mendigo Leproso, quando Eddie encontra A Coisa pela primeira vez na varanda da casa 29 na Rua Neibolt.

Uma múmia: Ben Hanscom lembra de ver uma múmia com as roupas d0 palhaço Pennywise caminhando pelo canal congelado em sua direção. Carregava balões que flutuavam contra o vento.

O Olho, ao encontrar os Perdedores sob a cidade.

Alvin Marsh, o pai abusivo de Beverly, de quem ela morre de medo.

Um enxame de sanguessugas aladas, ao atacar Patrick Hockstetter.

Um enxame de piranhas, quando Eddie tem medo de atravessar um riacho.

O tubarão (do filme Tubarão – Jaws) , visto por um menino chamado Tommy Vicananza no Canal de Derry em 1985.

Dracula, visto por Ben na biblioteca de Derry em 1985. Não se parece com nenhuma das variações tradicionais de Dracula, mas se parece com Kurt Barlow do livro Salem de Stephen King: muito velho e com lâminas no lugar dos dentes. Ele pergunta a Ben: “O que Stan viu antes de se suicidar?” O vampiro então morde sua própria boca e faz com que seus lábios se rasguem e sangrem no chão.

A estátua de Paul Bunyan, quando A Coisa se encontra com Richie fora da cidade.

Os cadaveres em decomposição de Tony Tracker, gerente de um depósito de caminhões em Derry, Greta Bowie, uma colega de classe dos Perdedores em 1958, que morreu em um acidente de carro alguns anos depois, e Patrick Hockstetter, visto por Eddie em Tracker Brothers em 1985.

Frankenstein ao encontrar Henry Bowers e seus companheiros, Victor Criss e Belch Huggins nos esgotos sob Derry.

Um Doberman: Quando A Coisa aparece para Henry Bowers, em 1985, na Instituição Mental de Juniper Hills, ela se transforma em um cão de quase 3 metros de altura. A Coisa escolheu especificamente essa raça porque é o único animal que o guarda que estava em serviço tem medo.

A Lua-Fantasma enquanto convence Henry Bowers a fazer seu trabalho sujo.

Victor Criss, enquanto convence Henry Bowers a ajudá-lo.

Jimmy Donlin, um dos presos de Juniper Hills, vê A Coisa como sua mãe.

A cabeça de Stan Uris, cheia de penas, dentro da geladeira de Mike. Também aparece como um jack-in-the-box quando Henry luta com Mike na biblioteca. Mike vê a cabeça de Stan se transformando na cabeça de Belch, enquanto Henry vê a cabeça de Victor.

A bruxa de “Hansel e Gretel”. Beverly Marsh visita sua antiga casa e encontra uma mulher chamada Sra. Kersh morando lá. A Sra. Kersh transforma-se então na bruxa, revelando que ela na verdade é A Coisa.

Cadáveres de crianças em decomposição vistas por Stan Uris enquanto ele entra no reservatório de água. Stan se lembra do boato das crianças que se afogaram no reservatório de água no topo da torre.

Reginald “Belch” Huggins em forma de zumbi: A Coisa assume essa forma quando dá uma carona para Henry Bowers até Derry (para assassinar os membros do clube de perdedores restantes) em 1985. A Coisa busca Henry em um Plymouth Fury (um carro muito famoso em 1958), em uma referência direta ao livro Christine de Stephen King.

The Deadlights, quando Henry Bowers e Os Perdedores se encontram com A Coisa. Esta é a forma da Coisa no Macroverso. As pessoas conseguem ver essa forma da Coisa se olharem por bastante tempo nos olhos da aranha.

A Aranha Gigante, que é a representação física mais próxima da sua forma real.

1957-1958 – Vítimas deste período

“Eu vou matar todos vocês! Ha ha! Eu vou deixá-los loucos e então vou matar todos vocês! Eu sou todos os pesadelos que vocês já tiveram! Eu sou o seu pior sonho virando realidade! Eu sou tudo que vocês temem! “A Coisa na forma de Pennywise em 1958 ameaçando matar Os Perdedores.

George Denbrough: Na abertura do livro e do filme, George é assassinado depois que A Coisa (aparecendo como Pennywise) arranca seu braço e o deixa sangrando até a morte. Ele foi morto em outubro de 1957. Sua morte inicia a cadeia de eventos trágicos daquele verão.

Betty Ripsom: uma colega de turma dos perdedores e integrante da gangue de Henry. Ela foi morta pela Coisa na forma de Pennywise. Seus pais ouviram sua voz pelo ralo da pia. Ela foi morta no dia 26 de dezembro, no dia seguinte ao Natal.

Edward “Eddie” Corcoran: Enquanto Eddie está sentado em um banco para se refrescar, A Coisa (na forma do cadáver reanimado de Dorsey) agarra o tornozelo de Eddie e começa a persegui-lo. Depois, A Coisa se transforma em Gill-man (O Monstro da Lagoa Negra) e arranca sua cabeça. Ele foi morto em 19 de junho.

Veronica Grogan: Beverly Marsh conta aos perdedores que uma amiga dela, Veronica Grogan, foi morta por Pennywise no final de junho.

Patrick Hockstetter: Depois de Henry ameaçar contar o segredo de Patrick (ele capturava pequenos animais e os prendia ​​em uma geladeira velha e deixava-os morrer sufocados), Patrick corre para tirar os cadáveres de dentro da geladeira, mas é atacado pela Coisa sob a forma de várias sanguessugas aladas que fazem grandes buracos no corpo dele. Patrick cai inconsciente por conta da perda de sangue e do choque. Quando acorda, percebe que A Coisa começou a comer-lo. Ele foi morto no final de julho.

Butch Bowers: Depois que Henry recebe um canivete retrátil de Pennywise por correio, ele entra em casa e assassina seu pai pressionando a faca em seu pescoço e liberando a lâmina retrátil. Embora a morte de Butch não seja uma morte cometida pela Coisa, ele conduziu telepaticamente Henry a cometer o assassinato. Henry foi preso pela morte de Butch. Butch foi morto em meados de agosto.

Vic Criss e Belch Huggins: Enquanto procuravam Os Perdedores nos esgotos com Henry Bowers, Victor e Belch são mortos pela Coisa sob a forma de Frankenstein. Nesta forma, A Coisa decapita Victor. Depois de matar Vic, ele persegue Henry, mas Belch o defende. Apesar da força de Belch, A Coisa facilmente o domina e mutila seu rosto enquanto Henry foge. Ambos, Vic e Belch, foram mortos em meados de agosto, sendo assim as últimas vítimas do verão.

1984-1985 – Vítimas deste período

“Faça a sua escolha! Bill-Bill-Bill … Billy boy! Oh, todos, exceto aqueles que estão no fundo. Esses já foram escolhidos, desculpe!”A Coisa na forma de Pennywise, provocando Bill Denborough em 1985.

Adrian Mellon: A primeira vítima da Coisa em 1984. Por ser gay, Adrian Mellon foi atacado por três jovens homofóbicos, John “Webby” Garton, Steven Bishoff Dubay e Chris Unwin. Adrian foi jogado de uma ponte e morto por Pennywise enquanto seu namorado, Don Hagarty e Chris Unwin assistem a ceno horrorizados. Adrian foi morto em julho de 1984.

Stan Uris: Embora sua morte não tenha sido causada diretamente pela Coisa, Stan se suicida por conta da mera possibilidade de encontrar com A Coisa novamente. Stan usa seu próprio sangue para escrever “IT” (em portugues, A Coisa) na parede do banheiro onde se matou. Ele morreu em 28 de maio.

John Koontz: Durante a fuga de Henry de Juniper Hill, Koontz tenta impedir, mas é morto quando A Coisa se transforma em seu pior medo (Um Doberman) e o mata enquanto Henry observa com um fascínio horripilante.

Henry Bowers: Quando Henry encontra o hotel onde Os Perdedores estão hospedados, ele vai até o quarto de Eddie e os dois começam a brigar. Eddie (e Ben no filme) mata Henry em legítima defesa. Henry foi morto em junho de 1985.

Tom Rogan: Quando ele chega em Derry para matar Beverly, Pennywise o hipnotiza. A Coisa convence Tom a capturar Audra Phillips e trazê-la para o covil da Coisa, no subsolo da cidade. Ao ver a verdadeira forma da Coisa, Tom morre instantaneamente. Ele foi morto em junho de 1985.

Edward “Eddie” Kaspbrak: A última vítima trágica da Coisa. Durante a luta final entre A Coisa e Os Perdedores, Eddie usa seu inalador de asma (que ele finge conter ácido da bateria de carro) na Coisa, conseguindo feri-lo gravemente e libertando Bill e Richie do “Abismo da Coisa” (Deadlights). No entanto, A Coisa consegue arrancar um dos braços de Eddie, provocando sua morte de choque e perda de sangue (da mesma forma em que Georgie foi morto).

A fraqueza da Coisa

Apesar de se ver como um ser superior e afirmando que seu cérebro comanda todo o continente, A Coisa está longe de ser toda-poderosa. Embora pareça que A Coisa tem um poder significativo sobre Derry e seus moradores, ela exibe várias fraquezas que Os Perdedores exploram.

A Coisa claramente subestima e despreza toda a humanidade, incluindo Os Perdedores. É perceptível em muitos casos que A Coisa deixa uma rota de fuga aberta para as vítimas e deixa-as fugir. Isso foi visto quando o jovem Ben Hanscom encontrou a múmia e quando Eddie viu o leproso debaixo da varanda da casa da Rua Neibolt 29. Como resultado deste complexo de superioridade, A Coisa constantemente comete erros e faz coisas ilógicas. Quando Henry Bowers e seus companheiros perseguem Os Perdedores no sistema de túneis de esgoto, A Coisa ataca a quadrilha de Henry e facilita para Os Perdedores depois de matar dois dos amigos de Henry. Também é mencionado no livro que A Coisa matou uma criança chamada Frederick Cowan saindo de dentro do vaso sanitário e, no entanto, não quis matar Os Perdedores um a um isoladamente porque não achava que precisaria. Acreditava firmemente que seria capaz de mata-los a qualquer momento e da forma que quisesse.

É uma entidade psíquicamente sensível, de modo que coragem e coração podem superá-la, mesmo nas suas formas mais diabólicas. Sempre que Os Perdedores estão juntos, sua forte vontade compartilhada e o amor mútuo vencem as maquinações diabólicas da Coisa. A forte crença dos Perdedores na possibidade de vercer A Coisa –  utilizando quaisquer métodos de batalha (por mais infantis que possam parecer) – os levar eventualmente à vitórias. O episódio dos perdedores na casa 29 da Rua Neibolt forçou A Coisa a fugir rapidamente ao ser atingido por uma bola de prata (isso só foi possível por conta da forte crença de todos os Perdedores na ideia de que itens de prata podem ferir entidades sobrenaturais).

O romance também afirma que quando A Coisa se transforma em alguma coisa, deve obedecer as leis dessa forma. Isso significa claramente que não é invulnerável, e suas formas físicas podem sangrar e podem ser significativamente feridas e talvez até destruídas.

A Coisa entra em hibernação por aproximadamente 30 anos entre os ciclos de matança. Durante a hibernação, pode ser extremamente vulnerável a ataques surpresa. No entanto, apesar de ter sido derrotado definitivamente, tem sido mencinado em outros livros (como O Apanhador de Sonhos e Corações na Atlantida) de que A Coisa ainda pode estar viva. O inimigo natural da Coisa, a Tartaruga “Maturin“, é mencionada na série A Torre Negra e o personagem Father Callahan conseguiu se defender de um grande grupo de demônios usando uma cruz e uma imagem  da Tartaruga. Portante, pode-se especular que apenas uma parte da Coisa foi destruída.