Tábua de Esmeralda por Hortulanus – Prefácio

Meditar sobre o significado da Tábua de Esmeralda por Hortulanus constitui um passo obrigatório para todo estudante diligente da Alquimia e do Hermetismo.

Para iniciar a leitura da Tábua de Esmeralda por Hortulanus é necessário saber que na Alquimia, como em qualquer arte ou ciência, devemos iniciar pelos fundamentos para, em seguida, progredir para tópicos avançados.

 
Um dos grandes obstáculos do estudo alquímico reside no fato de que até os fundamentos são demasiadamente complexos. Fato que requer disciplina e vontade firme.

 
Portanto, caso você deseje levar a sério o estudo alquímico, deverá consagrar, pelo menos, uma hora diária para estudo e seguir um programa previamente estabelecido.

 
Tal estudo torna-se significativamente mais seguro quando executado sob a orientação de alguém mais experiente ou através de uma Escola.

 
Existem muitas dissertações acerca da Tábua de Esmeralda, no entanto é necessário que você procure conceber o próprio entendimento. Os tratados de outros autores permanecem sendo pontos de referência para sua pesquisa.

 

 

O presente texto, do século XV, é de autoria de Hortulanus – pseudônimo de Joannes Grasseus -, autor pouco conhecido no Brasil.

Prefácio da Tábua de Esmeralda por Hortulanus

Louvor, honra e glória vos sejam concedias para sempre, Oh Senhor Deus Todo Poderoso! Juntamente com vossos muitos queridos filhos, nosso salvador Jesus Cristo, Deus verdadeiro e único, homem perfeito, e o Espírito Santo consolador, santíssima trindade, que sois o Deus único; eu vos rendo graças de que tendo tido conhecimento das coisas passageiras desse mundo nosso inimigo, vós me tenhais excluído por vossa grande misericórdia, a fim de que eu não fosse pervertido por suas volúpias enganosas.

 
E porque eu via muitas coisas daqueles que trabalham nesta arte, que não seguem o caminho reto; eu vos suplico, Oh meu senhor, e meu Deus! Que vos seja agradável que eu possa me afastar desse erro pela ciência que me haveis dado, meus mui caros e bem amados; a fim de que tendo conhecido a verdade, eles possam louvar vosso santo Nome que é bendito eternamente.

 
Portanto, eu, Hortulanus, quer dizer, jardineiro, assim chamado por causa dos jardins marítimos, indigno de ser chamado discípulo de filósofo, estando comovido pela amizade que dedico aos meus três caros, quis fazer por escrito a declaração e explicação correta das palavras de Hermes, pai dos filósofos, embora elas sejam obscuras; e declarar sinceramente toda a prática da verdadeira obra.

 

E sem dúvida, de nada serve aos filósofos quererem ocultar a ciência em seus escritos, pois que a doutrina do Espírito Santo opera.

Clique e leia aqui o capítulo I da Tábua de Esmeralda por Hortulanus.

#nefasto #terror


Pela Redação do Nefasto. Foto Google.