Noite de Walpurgis – Noite de Santa Valburga

A Noite de Walpurgis ou Noite de Santa Valburga (do alemão: Walpurgisnacht) é uma festa tradicional cujas origens remontam em parte ao paganismo, celebrada na noite de 30 de Abril para 1 de Maio.

A Noite de Walpurgis é, na maioria dos países, festividade celebrada em honra de Santa Valburga, abadessa de Heidenheim na Baviera, nascida no Devonshire no Século VIII.

No entanto, devido ao fato de esta noite estar associada, desde tempos imemoriais, com diversos ritos pagãos atrelados à celebração da chegada da Primavera, as duas celebrações ter-se-ão com o tempo confundido, dando assim origem à moderna festividade que nos dias de hoje se celebra nesta noite.

Durante os festejos é costume fazerem-se grandes fogueiras de modo a afugentar espíritos malignos e almas penadas, os quais segundo a crença popular, vagueiam nesta altura por entre os vivos.

A história de Santa Valburga

Santa Walpurgis, uma monja anglo-saxónica, que no início do sec. VIII foi evangelizar a Germânia, chamada por S. Bonifácio, sendo eleita em 754 abadessa do convento beneditino de Heidenheim, na Baviera, onde faleceu em 780.

Os seus restos mortais foram depositados na parte oca de uma rocha da qual brotava uma espécie de betume, conhecido depois pelo nome de óleo de Walpurgis e que teve a reputação de ser um remédio milagroso.

Esta gruta depressa passou a ser objecto de peregrinações, construindo-se ali uma igreja.

A montanha de Walpurgis

Nos países germânicos havia uma crença solidamente estabelecida de que durante a noite de 30 de Abril, os demônios e as bruxas reuniam-se nas montanhas, principalmente na de Blocksberg, no Harz, a que se chamava “Montanha de Walpurgis”, para celebrarem o seu sabbat.

Conta a lenda, que, por obra do diabo, a santa foi levada a essa montanha para conhecer de perto essas práticas que ela tanto tinha combatido, mas ao chegar lá, pregou com tanto fervor, que por pouco não converteu o próprio diabo…

A Noite de Walpurgis pelas culturas pagãs e no Cristianismo

Nas tradições celtas, celebrava-se esta noite, o festival de Beltaine (Fogo Benéfico), em honra de Belenos, o deus do fogo, e que marcava o começo da temporada de verão fazendo-se a purificação dos gados, que seriam depois levados para os pastos verdes dos altos das montanhas.

Acendiam-se fogueiras no alto dos montes e das colinas e o gado passava por entre elas, para se proteger das doenças e acidentes durante todo o ano. Estes fogos marcavam o triunfo da luz sobre as trevas, esconjurando os maus espírito, e debaixo da sua proteção as pessoas reunidas realizavam os rituais de fertilidade, associados a estes festejos.

No mito irlandês de Cailleach Bheur, uma bruxa invernosa de cor azul, também chamada de Senhora Repugnante, aprisionou a namorada da Primavera e destinou-lhe a difícil tarefa de lavar um novelo de lã castanha até ele ficar branco.

A Primavera tentou combater a velha, mas como não a conseguiu vencer, pediu ajuda ao Sol, que atirando uma lança, obrigou a velha a refugiar-se debaixo de um tufo de azevinho, e assim a jovem foi libertada.

Não é mais que a deusa na sua tripla forma de virgem, mãe e velha, em que neste duelo, a sua forma “repugnante” se limita a desaparecer no Beltane (30 de Abril), para retornar no Samadh (31 de Outubro). Beltane, recuperada por S. Patrício, foi convertida na Vigília Pascal.

Com o advento do Cristianismo, a festa de Santa Walpurgis a 25 de Fevereiro, foi mudada para 1 de Maio, passando a ser considerada a protetora desta noite.

Com o correr do tempo, as duas celebrações ter-se-ão confundido, dando assim origem às festividades de hoje em dia, onde é costume acenderem-se grandes fogueiras de modo a afugentar espíritos malignos e almas penadas, os quais segundo a crença popular, vagueiam nesta altura por entre os vivos e onde às vezes se queima um boneco que representa uma bruxa.

Nalgumas regiões de França, colhe-se durante a noite, o “matagot”, isto é a “erva da serpente” ou o selo-de-salomão (flor-da-felicidade azul), ou apanha-se o orvalho de madrugada, porque é bom para a pele.
Na Finlândia é uma espécie de festa carnavalesca onde se come e bebe bastante e que se prolonga pelo dia 1, considerado o 3º maior feriado finlandês.

A Noite de Walpurgis e o ocultismo

Uma data muito divulgada por filmes e histórias que tendem a polemizar festivais pagãos (Entre eles o brilhante Fausto, de Goethe; onde uma das cenas possui o nome deste festival), a Noite de Walpurgis ocorre na madrugada de 30 de Abril até o raiar do sol no dia 1 de Maio.

É uma comemoração pagã muito antiga, celebrada no norte da Europa e na Escandinávia , simbolizando o fim do Inverno e chegada da primavera. Nestas ocasiões, velas e fogueiras eram acendidas para simbolizar a passagem do Inverno e o início da temporada de crescimento nos campos, reprodução dos animais.

Bebidas alcoólicas eram largamente consumidas, as pessoas se pintavam e fantasiavam e brincadeiras e peças eram feitas. A estas comemorações era atribuída a capacidade de espantar os maus espíritos, pois as portas do submundo estariam abertas neste momento.

Os pagãos em geral festejavam para atrair energias boas neste recomeço de ciclo, enquanto alguns isoladamente idolatravam e sacrificavam a seus espíritos considerados “malignos” nesta data, devido a carga energética atribuída a ela.

Durante a idade média, todos foram postos no mesmo cesto pela Igreja Católica, que passou a considerar a data algo realmente tenebroso, onde as “bruxas” realizavam seus “Sabás de adoração ao demônio”. Inspirado nesta mitologia, em 1969 Anton Lavey criou a sua Church of Satan.

Obviamente não há nada de realmente macabro ou tenebroso nesta época. Há apenas as cargas energéticas e o véu um pouco mais fino entre físico e astral – e quem escolhe a real natureza de seus rituais é o próprio praticante. A própria Igreja Católica se apropriou da data e do nome, criando o “festival de Santa Walpurga”.

Noite de Walpurgis em diversos idiomas

Walpurgisnacht em alemão e holandês.
Valborgsmässoafton ou Valborg em sueco.
Vapunaatto em finlandês.
Valborgsaften em dinamarquês.
Valborgsnatten ou Valborgsnatta em norueguês.
Volbriöö em estónio.
Valpurgijos naktis em lituano.
Valpurģu nakts ou Valpurģi em letónico.
Noc Walpurgii em polaco.
Вальпургиева ночь (Valpurgijeva noch) em russo.
Čarodějnice, Valpuržina noc ou Pálení čarodějnic em checo.

#terror #nefasto


Pela Redação do Nefasto. Foto Google.