Amityville, os mistérios inexplicáveis na casa 112 da Ocean Avenue

Conheça Amityville e os terríveis acontecimentos que marcaram a casa nº 112 da Ocean Avenue

Era junho de 1965 quando a família DeFeo adquiriu a casa nº 112 na rua Ocean Avenue. Uma linda construção bastante espaçosa, contava com um rancho para barcos e uma ligação com o rio. Além do Sr. e Sra. DeFeo, foram morar na casa seus 5 filhos.

Embora buscando tranquilidade, os DeFeo tinham alguns problemas, que eram causados pelo seu filho Ronald. Viciado em drogas, cometia furtos para sustentar seu vício. Por causa desse comportamento, as brigas eram frequentes entre Ronald e seu pai.

A vida da família DeFeo mudaria por completo no dia 13 de novembro de 1974. Ronald estava assistindo televisão no segundo piso, quando se levantou, pegou a carabina, dirigiu-se ao quarto de seus pais e disparou dois tiros contra seus progenitores. Em seguida matou os seus irmãos John e Marc e as duas irmãs, Dawn e Allison.

A Investigação

A policia não conseguia achar uma explicação para os fatos, nem sua motivação.

Algumas coisas intrigaram os oficiais:

  • Todas as seis vítimas foram encontradas sem sinal de luta ou sedativo
  • Os vizinhos disseram que não ouve barulho de tiros, e a investigação policial concluiu que não foi feito o uso de silenciador na arma

“Foi tudo muito rápido. Assim que comecei, não consegui parar!” disse o suspeito no julgamento.

Quando lhe perguntaram o motivo de tamanha atrocidade ele afirmou: “Eu não matei a minha família, eles iam matar-me. O que eu fiz foi em autodefesa e não há nada de errado com isso. Quando tenho uma arma na mão, não há dúvida nenhuma sobre quem eu sou. Eu sou Deus”.

A nova versão

Alguns anos depois, Ronald mudou a história do ocorrido. Alegou que a irmã, Dawn e mais duas pessoas teriam participado do crime. A polícia voltou a investigar e descobriu pólvora na roupa e nas mãos da menina, o que leva a crer que ela disparou uma arma naquela noite. No relatório policial foi anotado que na roupa dela constava vestígio de pólvora, e como nota adicional, consta ainda que Ronald e Dawn praticavam incesto.

A família Lutz’

Um ano após a tragédia a casa foi vendida, em dezembro de 1975, para a família Lutz, que era composta por George e Kathy Lutz e seus 3 filhos Daniel, de 9 anos, Christopher, de 7 e Missy, de 5. Todos foram avisados do ocorrido, mas eles alegaram não se importar com os fatos.

Por insistência de um amigo, um pastor foi chamado para benzer a propriedade. Enquanto ele fazia o ritual, ouviu uma voz de homem ordenar “saia daqui”. Ele não disse nada ao casal no dia, mas quando ligou para avisar à família para não ficar no local, a ligação foi interrompida. Após o incidente ele começou a sofrer de febre e feridas nas mãos.

Os Lutz moraram por apenas 28 dias na casa e fugiram deixando a maioria dos seus pertences para trás.

Alguns relatos de acontecimentos com a família Lutz:

  • George passou a acordar sempre às 3h15, horário estimado em que ocorreram as mortes da família DeFeo. Sua mulher tinha pesadelos constantes sobre os assassinatos, chegando a “vê-los” na ordem em que haviam sido executados.
  • Após descobrir uma sala secreta que não fazia parte da planta da casa, com as paredes pintadas de vermelho, o casal ficou mais preocupado ainda. O cachorro da família não chegava perto do lugar.
  • Uma noite, quando acendiam a lareira da casa, o casal jura ter visto a imagem de um demônio se formar e queimar no ar. Na mesma época, uma das crianças da casa passou a comentar sobre um “amigo invisível” que tinha olhos vermelhos.
  • Daniel Lutz afirma que uma certa noite viu uma criatura em seu quarto

Há ainda muitas especulações sobre o que realmente aconteceu em Amityville, mas o mistério continua perdido nas brumas do tempo.

Pela Redação do Nefasto, com informações da Feraonline. Fotos: Reprodução.

#terror #nefasto